« Página Principal  « Regressar  Avançar »

1935-1957    1958-1965    1966-1969    1970-1977
(Clique nas datas para aceder à biografia de Elvis)

Biografia de Elvis Presley
1970-1977

26 de janeiro – 23 de fevereiro de 1972
Elvis atua ao vivo em mais um bem sucedido compromisso no Hilton, em Vegas.

Março/abril de 1972
Em abril a MGM filma Elvis num estúdio de gravação de Hollywood, depois faz filmagens sobre e fora de palco durante a sua tournée de 15 cidades, que é um grande sucesso. A MGM iria utilizar as filmagens para outro documentário a lançar para os cinemas, Elvis On Tour.

Em abril, o álbum de gospel, He Touched Me, é lançado para o mercado com boas críticas. O álbum viria a grangear a Elvis o seu segundo prémio Grammy, este na categoria de Melhor Desempenho Inspiracional.

Junho de 1972
Elvis continua a atuar ao vivo em digressão, começando com uma conferência de imprensa em Nova Iorque no dia 9. A MGM está à mão para filmar a conferência para a incluir em Elvis On Tour. Elvis faz história ao atuar em Madison Square Garden, quatro concertos completamente esgotados. John Lennon, George Harrison, Bob Dylan, David Bowie e Art Gurfunkel são algumas das estrelas do mundo da música descortinadas por entre a multidão durante os espetáculos.

Nove dias depois de ter sido gravado, a RCA lança à pressa um álbum ao vivo de um dos espetáculos – Elvis As Recorded at Madison Square Garden. Elvis parte em digressão por mais sete cidades.

A carreira de Elvis em Vegas e em digressão está no topo e assim continua até meados dos anos 70. Quebra os recordes de assistência em todas as cidades da América. Os lançamentos de discos também continuam.

Julho de 1972
A separação de Elvis e Priscilla é formalizada. Segue-se-lhe um divórcio. Elvis começou a sair com Linda Thompson, que viria a ser a sua principal companheira até finais de 1976.

4 de agosto – 4 de setembro de 1972
Elvis atua ao vivo durante um mês no Hilton, em Vegas.

5 de setembro de 1972
Elvis participa numa conferência de imprensa em Vegas e anuncia os seus planos para um concerto televisivo, a ser difundido via satélite para todo o mundo, a partir do Hawaii. Prevê-se que o concerto atinja a maior audiência televisiva na história e que o álbum ao vivo seja um enorme sucesso.

Outubro de 1972
Elvis tem um êxito que chega ao 2º lugar, com o single Burning Love, um dos seus melhores discos dos últimos anos.

Novembro de 1972
Elvis On Tour estreia nos cinemas com boas críticas e um excelente desempenho em termos de venda de bilhetes. Posteriormente, os seus produtores viriam a receber o Prémio Globo de Ouro na categoria de Melhor Documentário de 1972. Tal como os outros filmes de Elvis, viria a ter uma vida prolongada de exibição na televisão e em vídeos particulares.

Elvis parte em digressão para 7 cidades. A última é Honolulu, no Hawaii, onde faz três espetáculos na Arena do Centro Internacional de Honolulu, o mesmo local que acolherá o seu especial via satélite em Janeiro. Elvis aparece numa conferência de imprensa no Hawaii sobre o seu espetáculo via satélite. Anuncia-se que será para beneficiar a Liga Contra o Cancro Kui Lee.

Janeiro de 1973
Elvis faz história televisiva e no mundo do entretenimento com o seu especial Elvis: Aloha From Hawaii – Via Satellite. Atuado ao vivo no Honolulu International Centre Arena em 14 de janeiro de 1973 e difundido ao vivo às 12h30 (hora havaiana), via satélite Globecam para a Austrália, Coreia do Sul, Japão, Tailândia, Filipinas, Vietnam do Sul e outros países. É visualizado um pouco mais atrasado em cerca de 30 países europeus. Uma gravação do espetáculo seria vista na América em 4 de abril, pela NBC. A difusão ao vivo em janeiro atrai 37,8% dos espetadores no Japão, 91,8% nas Filipinas, 70% em Hong Kong e 70-80% dos espetadores na Coreia. A difusão de abril na América atraiu 51% dos níveis da audiência televisiva e seria visto em mais lares americanos do que quando o homem pisou a lua pela primeira vez. Na totalidade, seria visto em cerca de 40 países por cerca de 1,5 bilião de pessoas. Elvis encomendou um desenho da águia americana para o seu fato neste concerto, a sua mensagem patriótica para o seu público mundial.* Nunca nenhum artista tinha chamado a atenção de todo o mundo desta forma. Elvis estava em excelente forma física e também com uma voz espetacular. Provavelmente este é o pináculo do seu super estrelato, um dos momentos mais incríveis da sua carreira.

A venda de bilhetes para o concerto de 14 de janeiro e para o seu ensaio de pré-difusão em 12 de janeiro não têm preço. A cada pessoa é pedido que pague o que puder. As atuações e a venda de produtos relacionados com o concerto são para beneficiar a Liga Contra o Cancro Kui Lee, no Hawaii, e renderam 75.000 dólares. (Kui Lee foi um compositor havaiano que morreu de cancro enquanto ainda tinha 30 e poucos anos).

No palco com Elvis está uma orquestra e a sua banda ao vivo atual: Joe Guercio (maestro), J.D. Sumner e os Stamps (vozes), as Sweet Inspirations (vozes), Kathy Westmoreland (voz soprano), Charlie Hodge (guitarra / voz / assistência em palco), James Burton (guitarra), John Wilkinson (guitarra ritmo), Jerry Scheff (viola baixo), Glen D. Hardin (piano) e Ronnie Tutt (bateria).

O álbum da banda-sonora é lançado e em breve vai para o 1º lugar da tabela de álbuns pop da Billboard, e permanece na tabela em várias posições durante 52 semanas. Posteriormente o espetáculo teria uma vida prolongada na televisão e, posteriormente, em vídeo.

No especial, a gravação da canção tema de Elvis do seu filme de 1965, Paradise Hawaiian Style, toca sobre o genérico inicial e veem-se cenas da chegada em helicóptero de Elvis ao aeroporto e o seu passeio por entre os fãs que lá estão para o saudar. O concerto começa com a banda de Elvis a tocar a sua abertura tradicional nos concertos dos anos 70, o tema de 2001. Canta See See Rider, Burning Love, Something, You Gave Me a Mountain, Steamroller Blues, My Way, Love Me, Johnny B. Goode, It’s Over, Blue Suede Shoes, I’m So Lonesome I Could Cry, I Can’t Stop Loving You, Hound Dog, What Now, My Love, Fever, Welcome to My World, Suspicious Minds, I’ll Remember You (uma composição de Kui Lee  que Elvis canta depois de anunciar a soma recolhida para a Liga Contra o Cancro Kui Lee), Long Tall Sally/Whole Lotta Shakin’ Goin’ On, An American Trilogy (Elvis atira com o seu cinto para o público), A Big Hunk o’ Love e Can’t Help Falling in Love (Elvis atira a sua capa para o público). O espetáculo demora uma hora, com publicidade incluída. Depois do espetáculo, Elvis e a sua banda sobem mais uma vez ao palco perante uma arena vazia e gravam atuações das canções de Blue Hawaii, Ku-u-i-po e Hawaiian Wedding Song, que tinha gravado pela primeira vez no seu filme de 1961, Blue Hawaii, mais Early Morning Rain e No More. Todas, menos a canção No More, seriam incluídas na difusão americana, com Elvis a ser visto em montagens de ecrã com um fundo de paisagens havaianas.

* Uma Pequena História sobre o Fato de Elvis: Elvis disse a Bill Belew que queria que o fato deste especial dissesse “América” a toda a audiência mundial. Bill disse a Elvis que, sem contar com a bandeira americana, a outra única coisa em que conseguia pensar era na águia americana. Elvis disse, “Gosto da ideia”. E foi assim que um dos fatos mais famosos de Elvis nasceu. Elvis já andava a usar fatos de uma peça em palco desde 1970 e tinham vindo a tornar-se cada vez mais elaborados até à data deste espetáculo. Durante os últimos dois anos tinha vindo a usar fatos com jóias incrustadas, capas pela cintura e cintos pesados. Para o fato da Águia Americana, Bill concebeu inicialmente uma capa até aos pés. Durante os preparativos para o concerto, Elvis tentou trabalhar com esta capa, mas era demasiado pesada para usar. E assim, foi feita uma encomenda de última hora para uma capa com o tamanho habitual.

Para ver mais fotos de Elvis em Aloha, visite a Galeria 1, Galeria 2 e Galeria 3.

26 de janeiro – 23 de fevereiro de 1973
Elvis faz uma temporada no Las Vegas Hilton.

Março de 1973
Elvis e o Coronel vendem à RCA os direitos aos roylaties de Elvis sobre todo o seu catálogo de gravação até essa data.

4 de abril de 1973
O especial Aloha é visto na televisão americana pela primeira vez.

Finais de abril de 1973
Elvis parte numa digressão que inclui 8 cidades.

4-16 de maio de 1973
Elvis faz uma temporada no Sahara Hotel, em Lake Tahoe, no Nevada.

Maio de 1973
O álbum do concerto Aloha From Hawaii atinge a 1ª posição na tabela de álbuns pop da Billboard. É o seu primeiro álbum Nº 1 deste álbum da banda sonora do filme Roustabout, em 1965. Também viria a ser o seu último álbum a chegar a primeiro lugar na tabela.

20 de junho – 3 de julho de 1973
Elvis parte em digressão.

Julho de 1973
Elvis grava umas poucas de canções no Stax Recording Studio de Memphis – a primeira vez que grava em Memphis desde 1969.

6 de agosto – 3 de setembro de 1973
Regressa ao Vegas Hilton para mais uma temporada.

9 de outubro de 1973
Elvis e Priscilla aparecem no tribunal juntos e o seu divórcio é formalizado. Continuariam a ser bons amigos. Muito embora Priscilla tivesse ficado com a custódia de Lisa Marie, não haveria nenhum calendário de visitas estipulado para visitas feitas a Elvis e ele e a sua filha passariam muito tempo juntos com bastante regularidade.

15 de outubro – 1 de novembro de 1973
Elvis é hospitalizado em Memphis com problemas recorrentes de pneumonia e pleurisia, um cólon dilatado e hepatite. Já há uns tempos que Elvis se andava a debater com problemas de saúde, incluindo uma dependência cada vez maior de drogas medicamentadas. Iria ficar ainda pior. Também se debate com problemas de peso.

Dezembro de 1973
Elvis regressa ao Stax Recording Studio de Memphis para uma semana de sessões de gravação.


Elvis e Priscilla, a saírem do tribunal, depois de terem formalizado o seu divórcio (09/10/73).





















 


Poster publicitário do documentário Elvis On Tour.


Elvis, em tournée, 1972.
Concerto de ensaio, Honolulu, 12/01/73.
Aloha From Hawaii, 14/01/73.








Elvis, despede-se, no final do concerto.

LP Elvis Aloha From Hawaii, Via Satellite.

« Página Principal  « Regressar  Avançar »