« Regressar

ENTREVISTA COM ELVIS PRESLEY - 03 DE ABRIL DE 1957

   
Local
: Ottawa, Canadá.
Entrevistador
: Gord Atkinson

Elvis, esta é a primeira vez que vens ao Canadá?
Sim, é a minha primeira viagem ao Canadá.

Muito embora ainda seja muito cedo para ter algumas impressões, já tens algumas?
Não. Sim. Bem, até tenho. Estive em Toronto a noite passada (no concerto de Maple Leaf Gardens) e fiquei muito surpreendido com a forma como as pessoas são maravilhosas. Amigáveis, sabe, nesta parte do país.

Certamente que já estavam à tua espera há muito, muito tempo.
Já há algum tempo que queria cá vir. De facto, quando comecei a olhar para a tournée, disse, “Por quem são. Quero ir ao Canadá.” Há cerca de um ano tentei fazê-los marcarem-me uma tournée por aqui, mas eu não era suficientemente conhecido. Há um ano e meio atrás, quase ninguém me conhecia.

Parece quase inacreditável.
Então eles calcularam que eu não seria capaz de ganhar dinheiro suficiente.

Agora já não há dúvidas quanto a isso. Elvis, certamente que ultrapassaste a popularidade que Frank Sinatra teve nos seus tempos áureos. Talvez esta pareça ser uma pergunta pateta para um fã de Presley fazer – pois parece ter uma resposta óbvia – mas será que alguma vez já pensaste para contigo o que é que tens que te fez ser uma personalidade do show business tão fenomenal como és?
Já pensei nisso, só que não gosto de descobrir o que é, porque tenho medo de se descobrir o que é, o possa perder. Então, mantenho-me sempre a pensar no que será.

Construíste recentemente uma casa?
Bem, não a construí, limitei-me a comprá-la.
É uma propriedade (Graceland). Fica a cerca de dez milhas de onde vivo agora (Audubon Drive). Tínhamos de arranjar uma casa maior porque acumulei tanta tralha nestes últimos dois anos, que nem sei onde a pôr.

E vais viver com os teus pais?
Sim.

És filho único, certo?
Sim, senhor.

Posso perguntar-te se tens namorada?
Não tenho nenhuma rapariga especial. Quer dizer, quando estou em casa saio com várias raparigas diferentes de Memphis, mas não tenho nenhuma em particular.

Já pensaste que um dia podes conhecer uma certa pessoa que te leve a decidir casares?
Provavelmente casarei.

E achas que isso prejudicaria a tua popularidade?
Provavelmente, sim. Não tenho planos para casamento em breve. Ainda não conheci ninguém com quem me quisesse casar.

E o teu estilo a cantar? Dirias que és uma evolução da música country ou da música pop? Ou uma combinação de ambas?
Acho que gosto de ambos estilos – mais do rock and roll do que qualquer outra coisa. Basicamente foi o rock and roll que me pôs onde estou.

Há muitas pessoas que estão à espera para falar contigo e gostaria de te agradecer imenso. Tenho aqui algo com que te presentear. É um documento do nosso programa, chamado Campus Corner. É um programa que é passado todos os sábados. É dedicado aos adolescentes, se consegues imaginar. Fizemos uma sondagem de popularidade, com os rapazes e raparigas a votar na estação. E durante o ano e meio anterior tens estado em primeiro lugar.
Oh, isso é ótimo. Muito obrigado.

Elvis, interrogo-me se terás alguma coisa que quisesses dizer a todos os teus fãs neste momento?
Gostaria de lhes dizer que aprecio profundamente este gesto. Acho que recebo mais correio de Toronto, Ottawa e Montreal do que qualquer outro sítio. Já recebi mais correio só desta área do que de qualquer outro sítio dos Estados Unidos.

Isso é maravilhoso.
Não lhe estou a dizer isto só porque está aqui ao pé de mim, mas porque é muito verdade. Este é um dos motivos porque eu sempre quis cá vir acima, porque recebo mais cartas do Canadá que aquelas que consigo contar.

Isso deverá fazer os teus fãs muito felizes. Foi um sincero prazer falar contigo, Elvis Presley.
Muito obrigado.

Fonte: Livro Elvis - Word For Word, de Jerry Osborne.

« Regressar