« Regressar

ENTREVISTA COM HAL DAVID - 2006


O que se seguem são os comentários deste compositor sobre o seu trabalho com Elvis durante as filmagens de Kid Galahad e sobre as canções nas quais trabalhou para a banda sonora, nomeadamente, A Whistling Tune e Home is Where the Heart Is.

 


Legenda:
Burt Bacharach com Hal David.

 

Eu achava que Elvis era excelente. Da primeira vez que ouvi Elvis ele estava a cantar uma canção que o meu irmão, Mack, escreveu, intitulada I Don't Care if the Sun Don't Shine. Era pela Sun Records. Quando ouvi Elvis Presley pela primeira vez pela Sun Records - isto foi antes de ele ser mesmo famoso - ele espantou-me imenso. I Don't Care if the Sun Don't Shine foi publicada pela Famous Music. O editor foi Eddie Wolpin. Que eu saiba, foi ele que enviou a canção para Sam Phillips na Sun Records e Sam Phillips deu-a a Elvis para gravar. O meu irmão nunca tinha ouvido falar de Elvis Presley até esse disco sair. (ri-se). O Mack adorou. Era um disco excelente.

 

Elvis não foi nenhum acidente. Ele era mesmo muito especial. Detesto congratular-me a mim mesmo, mas quando ouvi os Beatles pela primeira vez em Londres eles estavam mesmo no início. Soube instintivamente que eram fantásticos. E senti exatamente o mesmo com Elvis, que era muito mais do que só as ancas giratórias e tudo isso.

 

Elvis era um excelente cantor. Era muito distinto na forma como interpretava as letras. De certas formas fazia-me lembrar de Nat "King" Cole, que era um tipo de cantor completamente diferente. Se conhecerem Nat "King" Cole, ele tinha a sua própria forma subjetiva de cantar e de interpretar uma letra. Quando o ouvíamos sabíamos que era Nat "King" Cole e mais ninguém. E Presley era muito assim também. Os seus padrões rítmicos e a forma como pronunciava as palavras eram tão distintas que não se pareciam com mais ninguém. Ele não era como Frank Sinatra, que era um ótimo intérprete. Elvis era realmente tão distinto. Provavelmente aquilo era natural nele.

 

Tenho a sensação de que me cruzei com Elvis uma vez no escritório dos Aberbachs em Nova Iorque, no Brill Building. Mal viramos profissionais e se começa a aprender enquanto vamos andando, com todo aquele talento natural que Elvis tinha, acho que ele estava sempre a melhorar por fazer sempre mais e mais. Tinha um ouvido incrível que lhe dizia o que estava certo e o que estava errado.

 

Ele era capaz de cantar qualquer tipo de canção, o que fazia dele um artista incrível. Pomo-lo ao lado de Sinatra, que era capaz de cantar qualquer tipo de canção. Elvis conseguia ser muito real e convincente com qualquer tipo de canção. Não se restringia a um único estilo, nunca o fez.

 

Escrevi duas canções gravadas por Elvis Presley, Home is Where the Heart Is e A Whistling Tune. Não se encontram entre as mais famosas de Elvis, e seria bom se assim fosse. Mas achei que eram boas canções e adorei a forma como ele as cantou.

 

Home is Where the Heart Is foi escrita para o filme Kid Galahad. Foi no título que pensei para o lugar onde supostamente a canção devia encaixar no filme. Não vi o filme com antecedência. Enviaram-me e ao meu co-compositor, Edward Sherman, um argumento do filme. Vimos os locais onde eles achavam que as canções deveriam estar e escrevemos estas canções.

 

Sinto orgulho em Home is Where the Heart Is. Nunca desisto duma canção da qual sinta orgulho. Não a mostro a ninguém até estar boa. Sei intuitivamente quando uma canção está acabada ou quando já fui com ela até onde podia ir dentro das minhas capacidades. Tínhamos o título e uns poucos de versos e depois Sherman e eu começámos a escrever a canção. Sherman e eu fizemos muito trabalho juntos. Compúnhamos muito da mesma maneira que eu e Burt Bacharach. Sentávamo-nos numa sala e por vezes uma pequena frase podia muitas vezes dar início à canção, ou apenas uma melodia. Nestes casos em particular os títulos das canções surgiram primeiro porque tinham de encaixar em algo no filme. Trabalhávamos relativamente depressa quando compúnhamos estas canções. Eram provavelmente feitas numa questão de poucos dias. Foi uma grande excitação ver Kid Galahad pela primeira vez e ouvir Home is Where the Heart I no filme. Por esta altura Elvis era uma estrela muito grande e era a primeira vez que tinha escrito algo para ele.

 

A rendição de Elvis de Home is Where the Heart I é linda e que eu saiba é a única gravação dessa canção. A sua versão é muito comovente e adorei-a quando vi o filme. Era um grande fã de Elvis e ainda sou um grande fã.

 

Elvis foi o Rei deste período e qualquer pessoa que realmente reine durante um certo período de tempo é como Babe Ruth, nunca nos podemos esquecer dele.

 

Fonte: Livro Writing for the King, de Ken Sharp (Follow That Dream).

« Regressar